PLANTAS DE CASA

Formas na versão do utilizador de observar e cuidar de plantas de interior.

Diversos assuntos serão abordados neste blogue destinado a todos os que gostam de plantas e que somente possuem uma pequena varanda ou o espaço interno da casa para as colocar.

De uma forma simples, irei revelando pequenas dicas e conselhos sobre como desfrutar melhor das mesmas pela auto experiencia e observação de resultados de outras pessoas que jamais compraram um livro de plantas ou de jardinagem.

Por todo este blogue é possivel tambem encontrar outros textos relacionados com plantas e links direcionados a outras paginas de grande interesse sobre este assunto, visita-os para informações adicionais!...




EEem.

.
.

22/02/09

CARNIVORAS - Breve Historia


A Primeira Planta Carnívora
A busca de pólen fossilizado (Palynologia) ainda não permitiu determinar a origem das plantas Carnívoras. Os cientistas estão certos que o fenómeno desenvolveu-se de uma forma bastante sistemática, visto estar presente entre plantas com famílias muito separadas.

A primeira planta Carnívora é uma Drosera, que terá aparecido no final do Cretácico, período auriu dos dinossauros. Ela dispunha de pelos "colantes" com os quais agarava acidentalmente insectos. A degradação bacteriana das presas originava a presença de depósitos orgânicos, os produtos da sua decomposição seriam então absorvidos pelas raízes. Nos nossos dias, as duas espécies de Roridula originária da África do Sul, ainda se encontram a esse estado primitivo, os primórdios da evolução das Carnívoras.

A evolução
Existe desde milhões de anos, plantas não carnívoras que dispõem de folhas em forma de urna. No interior dessa folha pode se acumular água dentro da qual, acidentalmente, insectos encontram a morte.

É o caso, entre outros, das broméas com as suas folhas em roseta (Aechmea, Guzmania, Vriesea, etc...). A transformação por bactérias, das substancias orgânicas dos insectos mortos afogados, liberta dentro da água uma certa quantidade de minerais.

Absorção pelas Folhas
A faculdade de absorver os sais minerais, ou diversas outras substancias, pelas folhas é uma propriedade que as plantas carnívoras dispõem, bem como uma sem fim de outros vegetais. Alias, a fertilização com fertilizantes directamente utilizados nas folhas é uma técnica muito utilizada.

Absorção involuntária
Absorvendo as substâncias de origem animal, mesmo de forma involuntária, a plantas torna-se involuntariamente uma planta carnívora. É provável, que começando com este fenómeno, muitas plantas se tenham especializado e evoluído depois de muitas e muitas gerações para os primeiros vegetais carnívoros.

Esta fonte suplementar de nutrientes permitiu aos vegetais que a dispunham, de melhor se adaptar a meios pobres e finalmente de os conquistar. As diferentes evoluções morfológicas e fisiológicas que apresentam as plantas Carnívoras de hoje são o resultado da selecção natural. Com o tempo elas conseguiram atrair e matar de forma cada vez mais sofisticada e melhorando ao mesmo tempo a forma de assimilar os nutrientes.

Um Exemplo
As heliamphora, que são das espécies mais primitivas de plantas carnívoras, ilustram bem essa teoria.

Essa planta dispõe de folhas enroladas até formar uma urna. São totalmente desprovidas de glândulas digestivas, a decomposição das presas realiza-se exclusivamente por bactérias.

Plantas "herbívoras"
As folhas da Pinguicula Vulgaris, que apresenta uma grande superfície colante, consegue-se cobrir de uma grande quantidade de pólen transportado pelo vento. Esse pólen é de seguida digerido por enzimas segregadas pela planta.

A digestão
Podemos aproximar a finalidade das plantas carnivoras às necessidades observadas aos animais predadores: as substancias azotadas contidas nas presas devem ser transformadas em matéria assimilável.

Diversos métodos
Para que a transformação da matéria orgânica seja possível, as plantas segregam enzimas a partir de verdadeiras glândulas digestivas. Algumas, desprovidas de glândulas, pedem ajuda a bactérias que decompõem o corpo das presas. A conjugação destes dois métodos também pode ser observado.

Ingestão sistémica
A faculdade de absorver substancia através da folhagem é denominada de sistémica. As plantas Carnívoras desenvolveram um método que as permite impregnar-se, directamente através das folhas, dos produtos da decomposição das presas. É assim que as Droseras, Drosophyllum e Pinguicula são capazes de segregar enzimas digestivas que jogam um papel semelham as dos nossos sucos gástricos.

A digestão pode começar
Os esforços dispendidos durante a captura, mesmo nas plantas que dispõem de movimento como a dionea e as droseras, não são suficientes para iniciar a digestão, que é muito desgastante para o metabolismo da planta. Ela assegura-se primeiro que a presa seja realmente um animal e não um bocado de folha, uma pedra ou qualquer outra coisa não assimilável. Um estímulo químico é necessário. São algumas moléculas presentes no corpo do insecto que jogam um papel determinante, por exemplo o ácido úrico, que iniciam o processo de digestão

Benefícios de ser Carnívora
A captura de presas permite um melhor crescimento e aumenta a produção de sementes. Na Pinguicula Vulgaris, mesmo num solo com minerais, a captação por parte das presas melhora a absorção de azoto e fosfato.
O regime carnivoro dos vegetais não tem efeito sobre o equilíbrio em Cálcio, Magnésio ou Potássio. No entanto, as triphyopyllum conseguem acumular potássio em solos carentes desse elemento.


Algumas Plantas Carnivoras:
Drosera
Drosera (rusticas)
Utricularia
Roridula gorgonias
Sarracenia
Pinguicula (EUA, Mexicana)
Cephalotus follicularis
Ibicella reducta
Nepenthes
Darlingtonia californica
Dionaea muscipula
Heliamphora
Drosophyllum lusitanicum
Byblis gigantea, Byblis linifolia
Brocchinia Reducta

Fonte: www.karnivoras.com

1 comentário:

Perfumes Bighouse disse...

Tão interessante! Bem escrito e ilustrado! Durante anos fui professora de ciências para o 1° Grau ou Ensino fundamental. Sempre esbarrei com a falta de fotos bonitas, material interessante para prender a atenção de alunos cada vez mais exigentes. Seu material daria um belo apoio.Bjocas