PLANTAS DE CASA

Formas na versão do utilizador de observar e cuidar de plantas de interior.

Diversos assuntos serão abordados neste blogue destinado a todos os que gostam de plantas e que somente possuem uma pequena varanda ou o espaço interno da casa para as colocar.

De uma forma simples, irei revelando pequenas dicas e conselhos sobre como desfrutar melhor das mesmas pela auto experiencia e observação de resultados de outras pessoas que jamais compraram um livro de plantas ou de jardinagem.

Por todo este blogue é possivel tambem encontrar outros textos relacionados com plantas e links direcionados a outras paginas de grande interesse sobre este assunto, visita-os para informações adicionais!...




EEem.

.
.

07/05/08

VIOLETAS - AS VERDADEIRAS

Existe uma violeta tão ou mais delicada quanto a violeta africana (Saintpaulia ionantha) de que já aqui tambem falei, mas que além da beleza apresenta outros atributos: um suave perfume e propriedades medicinais.
Trata-se da Viola odorata, planta da família das Violáceas e não tão conhecida dos demais como a africana.


Elas realmente não se parecem muito e as diferenças são fundamentais: as flores da Viola odorata são perfumadas e de cor roxo intenso e pessoalmente encontro muito mais semelhança com os 'amores perfeitos', as folhas são ovais, lisas e apresentam uma haste longa, também produz estolhos como os morangueiros; enquanto que a violeta africana não exala perfume, possui folhas aveludadas, com formato redondo e as flores são de cores variadas, além de não apresentarem nenhum valor medicinal, apenas decorativo.
O sistema de reprodução também é muito diferente.
A violeta, nativa de quase todas as regiões do mundo, com exceção dos trópicos, simboliza a humildade, a modéstia e a timidez.

É chamada também de violeta-de-cheiro, violeta-perfumada ou violeta-européia.


Preferidas dos antigos gregos, as violetas eram o símbolo da cidade de Atenas. Os celtas usavam as violetas para preparar produtos de beleza. Entre os romanos, seu perfume era exclusivo das mulheres recatadas.

Ao longo da história foram também usadas como medicamento.

A medicina homeopática começou a aplicar os poderes curativos da Viola odorata por volta de 1829. Nessa época, ela já mostrava sua eficiência, conhecida desde a Antiguidade, contra sinusite, tosse, dores de ouvido, rouquidão e reumatismo.

Os povos antigos usavam a florzinha, sabiamente: em coroas contra as dores de cabeça.


Mais tarde, seu uso foi estendido assim que a planta demonstrou as suas virtudes como expectorante, antiespasmódica, sudorífera, diurética e anti-inflamatória. As propriedades desta planta estendem-se pela cosmética, onde as flores são usadas como matéria-prima para raras colónias, talcos, desodorantes, sabonetes e, acreditem, chegam até á cozinha, pois as flores são simplesmente deliciosas, sendo empregadas na fabricação de bebidas, geleias ou doces cristalizados.
Na Inglaterra, durante o reinado de Elizabeth I era hábito saborear violetas cruas ou em saladas. As flores também eram usadas na fabricação de bombons.

Em 1829, o médico alemão M. Staptf começou a utilizar a Viola odorata na homeopatia, visando o tratamento de dores de ouvido, sinusites e reumatismos. O resultado foi surpreendente mas é claro que as doses e diluição devem variar de acordo com o paciente, indicando que o uso deve ser feito rigorosamente sob controle médico.
A medicina popular aproveita bem as flores e raízes da planta, uma vez que as folhas apresentam poucos princípios activos. O macerado das flores e raízes é muito usado para limpeza dos brônquios, contra conjuntivites e inflamações do nariz e da garganta.
Entretanto, é fundamental não esquecer de um detalhe: as raízes da Viola odorata apresentam um alcalóide - a violina - cujas propriedades químicas são razoavelmente tóxicas, podendo causar vómitos e diarreias. Mais uma razão para não usar a planta como remédio indiscriminadamente.
A planta também apresenta outros componentes activos: óleo essencial, violamina, alcalóides (odoratina), emetina, irona e glucosídeos.



Fácil de cuidar

A Viola odorata é originária da Europa, mas estende-se praticamente por todo o mundo.


O seu habitat natural são os bosques e as zonas sombreadas e húmidas. Trata-se de uma planta muito fácil de ser cultivada, podendo crescer bela e saudável até mesmo dentro de casa tendo em conta estes factores.

O plantio por meio de sementes deve ser feito em vasos pequenos, numa mistura de 2 partes de composto orgânico, 1 de terra e 1 de areia grossa. Plante as sementinhas numa profundidade de 1 cm. O vaso precisa ser mantido à sombra e a terra regada todos os dias, sem encharcar. Por ser uma planta perene, se bem cuidada, irá florescer por muitos anos e garantir flores com um delicioso perfume.

Também pode quando encontrada no campo, ser arrancada com cuidado e transplantada para um vaso que em alguns dias retomará o crescimento e também pelos estolhos que lança na terra como os morangueiros, criando assim novas plantas que ao criarem raiz podem ser retiradas da planta mãe e colocadas individualmente noutro vaso.
No entanto, o efeito visual das violetas é superior quando agrupadas em tufo, podendo para isso ir deixando os estolhos junto á planta mãe e apenas orientando para que se instalem convenientemente.


As pétalas perfumadas podem ser armazenadas: é só colher, secá -las à sombra e guardar em saquinhos plásticos pretos, para não receber luz. Antigamente havia o habito de colocar uma ou mais flores entre as paginas de um livro de romance que impregnava as folhas com o seu perfume e o libertava cada vez que se abria o livro.

Curiosidades

Na Inglaterra, a Viola odorata é conhecida como Sweet Violet (violeta doce) e na França, seu nome é Violette Odorante. Na tradição de vários povos, credita-se a esta flor alguns poderes mágicos: dizem que a pessoa que colher a primeira violeta que se abrir na primavera, atrairá o verdadeiro amor; o seu perfume é considerado um óptimo afrodisíaco, além disso, essa violeta era usada como ingrediente na preparações de antigas "poções do amor".

Antigamente em Portugal era comum encontrar floristas de rua, que unicamente vendiam em graciosos e pequeninos bouquets, aos homens que as entregavam ao seu amor; hoje ainda é possível encontrar uma ou outra florista que as venda mas devido á sua raridade são exorbitantemente caras.
Existem naturalmente em três cores, violeta em varias intensidades (a mais comum), rosa (difícil de encontrar) e branca (verdadeiramente rara), dizendo-se em lenda que quem encontrasse naturalmente uma violeta branca encontraria nesse ano a sua alma gémea.


A Violeta é tema de um dos tangos mais conhecidos, tornado famoso na voz de Sarita Montiel, no filme La Violetera.

4 comentários:

Arina disse...

Adoro estas florezinhas perfumadas e não as via desde minha juventude. Fiquei contente por conseguir uma mudinha quando visitei minha irmã em Porto Alegre no fim do ano. Agora tenho uma em minha sacada,em pleno nordeste, está com 3 flores e bem viçosa! Espero que se adapte ao clima!

Anónimo disse...

queria que essa violeta fosse tão conhecida quanto a africana que é linda mas sem cheiro...

Sandra Favero disse...

Onde encontro as violetas europeias em São Paulo?
sanfavero@gmail.com
Grata

Anónimo disse...

Como obter mudas de violetas perfumadas?Atualmente moro no Estado
do Rio de janeiro.